Prémios Festivais da Canção 2016 – O Pior de 2016

premios_016Todos os anos têm aspetos negativos nas mãos variadas vertentes e 2016 não foi exceção, muito pelo contrário.

No que se refere à temática Festival da Canção e da Eurovisão em particular e à música portuguesa em geral elegemos os seguintes acontecimentos com nota negativa, ou mesmo muito negativa.

A ordem pela qual os vamos mencionar é perfeitamente aleatória.

O facto da RTP não ter feito Festival da Canção, nem ter participado no Festival da Eurovisão é das piores decisões de 2016 no que concerne à temática respetiva.

Outro facto digno do nosso reparo que já remonta de há alguns anos e reside na não existência de programas musicais, em prime time,  com cantores profissionais portugueses, cantando os nossos autores e compositores.

O predomínio excessivo da língua inglesa, tanto nos concursos para novos talentos, como nas músicas passadas nas estações de rádio generalistas. Porquê colocar os designados por novos talentos a  cantar inglês? Já alguém parou para pensar que o sucesso dos cantores portugueses além fronteiras se faz a cantar em português? Mesmo em Portugal o sucesso dos cantores portugueses que cantam em inglês é relativo e temporário, começando muitos por cantar em inglês e depois a certo momento da sua carreira optam por razões óbvias por cantar em português.

A existência de reality shows que ocupam o espaço que deveria ser dado à música portuguesa por cantores portugueses, merece-nos nota muito negativa.

A promoção de não cantores, embora em estilo de achincalhamento, como o mais recente fenómeno designado por Maria Leal, é algo que consideramos como do pior que aconteceu em 2016. As audiências não podem justificar tudo. É execrável, não só a promoção destes pseudo cantores, como o vexame inerente feito, pelos ditos profissionais de televisão, aos mesmos. Há que falar claro: Atitudes como estas não servem a ninguém, muito menos aos cantores profissionais, aos autores e compositores portugueses, é na verdade um péssimo serviço de televisão. Este espaço televisivo deveria ser ocupado pelos bons profissionais de espetáculo.

Os óbitos ocorridos em 2016 de cantores e outros agentes culturais ligados aos Festivais da Canção e da Eurovisão e mencionados ontem em rubrica própria a que pode aceder aqui.

Os atentados terroristas em Berlim, Bruxelas e Nice merecem o nosso repúdio, à semelhança da condenação feita por vários cantores que participaram nos Festivais da Canção e da Eurovisão.

Estes sete pontos foram os que nos mereceram nota negativa.

A partir de amanhã colocaremos em destaque o que de bom aconteceu em 2016, nas mais variadas áreas culturais.

Fonte: Festivais da Canção

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s