Entrevista a Joana Duarte |exclusivo|

joana-duarteJoana Sequeira Duarte é de Valpaços, mas vive em Lisboa. É uma autêntica mulher dos sete ofícios, dado que é arquitecta, coreógrafa, dançarina e música. É vocalista do grupo Happy Mess, fundado em Outubro de 2011. Neste grupo toca também sintetizadores e dele fazem parte também o jornalista Miguel Ribeiro, Rui Manuel Costa, Pedro Rita Madeira e João Pascoal. É um projecto dentro do estilo Indie Rock, tendo alcançado grande sucesso no nosso país. Têm um EP e dois discos editados, o último deles intitulado Half Fiction, que foi editado pela Sony Music no final de 2015. O grupo para além do indie rock mistura também nos seus temas algumas tonalidades da música electrónica.

Neste Festival Joana Duarte partilha a autoria do tema com Toli César Machado, sendo letrista da canção número 1 da segunda semifinal, cujo intérprete será divulgado amanhã. Deixamos aqui a entrevista que a letrista deste tema gentilmente nos concedeu.

Festivais da Canção – Como surgiu a parceria para participar como letrista neste Festival RTP?
Joana Duarte – O Toli e o Paulo Carvalho propuseram-me o desafio de escrever a letra para a canção do Toli. Eu escrevi, o Toli aceitou e eu fiquei muito feliz.

FC – Descreva-nos a sua canção do ponto de vista poético (da letra).
JD – Não gosto particularmente de direcionar o olhar do público sobre os materiais que produzo, neste caso uma letra. Adianto que é um poema sobre ausência, sobre amor fragmentado, sobre uma Europa fragmentada e a nostalgia de tempos melhores (humana, social e politicamente). Estes temas convivem com a crença na ideia positiva da mudança/transformação.

FC – Qual é o título da sua canção? Em que se inspirou para este título?
JD – My Paradise. Na realidade quem escolheu o título foi o Toli, após ter lido a letra. Quando a escrevi não quis ser eu a dar-lhe um nome, porque em última instância (e em primeira), sendo um convite da RTP/Festival da Canção dirigido ao Toli, ele teria que identificar-se com o nome da canção que compôs.

FC – Quais as suas expectativas para este Festival?
JD – Sem grandes expectativas porque não tem de haver sempre expectativas. Tenho, de resto, confiança na canção do Toli, que é muito boa, o cantor escolhido encaixa na perfeição e portanto só pode correr muito bem. E acredito que todos os compositores escolhidos pensem o mesmo porque são músicos de enorme qualidade. Estou curiosa para ouvir todas as canções e perceber as diferentes abordagens de cada compositor. Será, sem qualquer dúvida, muito enriquecedor para o formato Festival da Canção e para os próprios compositores/equipas.

FC – Em que se baseou a vossa equipa para a escolha do intérprete?
JD – O Toli já tinha em mente a pessoa escolhida…. e ainda bem que foi possível.

FC – Este ano a RTP decidiu optar por um novo modelo de votação, sendo que a escolha dos finalistas irá ser por televoto e por votação de um júri de sala. Concorda com este método de votação? Porquê?
JD – Nada a apontar, parece-me tudo justo.

FC – À sua canção foi atribuído o número 1 no desfile, na 2ª semifinal. Acha que a ordem do desfile poderá ter alguma influência na votação dos espectadores em casa?
JD – Na realidade nem ligo muito a esse tipo de ordens. Não me parece que tenha grande influência.

FC – A RTP decidiu dar liberdade na escolha do idioma para apresentar os temas a concurso. Há quem defenda que para se triunfar na Eurovisão teríamos que apresentar um tema em inglês, no entanto, outros referem que se deve cantar sempre na nossa língua, defendendo assim as nossas tradições e identidade. Em qual destas duas correntes se insere?
JD – Em nenhuma! 🙂 Creio que cada compositor deve apresentar “aquilo” em que mais acredita, sem muitas pressões externas.

FC – Este espaço é seu para divulgar o seu tema e a sua equipa, poderá escrever algumas linhas para divulgar a sua canção.
JD – Uma canção ritmada, feita de subtilezas e cantada por uma voz belíssima.

Agradecemos a Joana Duarte a concessão desta entrevista e desejamos sorte para a participação no Festival da Canção 2017.

Veja no vídeo em baixo um dos temas mais conhecidos do grupo The Happy Mess, em que Joana Duarte é a vocalista, intitulado The Invisible Boy.

Fonte: Joana Duarte

3 pensamentos sobre “Entrevista a Joana Duarte |exclusivo|

  1. Pingback: Canção nº1 – Segunda Semifinal – “My paradise” por David Gomes – O seu depoimento |

  2. Pingback: FC2017 – 2ª Semifinal – A nossa abordagem a todos os que estão nesta semifinal |

  3. Pingback: A II Semifinal do Festival da Canção 2017 é hoje na RTP |Não perca| |

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s