In Memoriam – Aos cantores falecidos do ESC e FC 1974

1974  

Em 1974, quatro dia antes da noite eurovisiva, o número de participantes passou de dezoito para dezassete, resultante da desistência de França devido à morte do seu presidente, George Pompidou, a 2 de abril.
A canção portuguesa tornou-se icónica, pela sua utilização como senha para se dar início à revolução de abril. 

Dos trinta e cinco concorrentes, cinco já faleceram. Dos participantes no Festival RTP da Canção, seis já não se encontra entre nós.  

ESC 

·                            Alemanha 

·                  Bert Berger (Cindy & Bert)14 de julho de 2012 (66 anos) – inflamação pulmonar 

·                            Bélgica 

·                  Jacques Hustin6 de abril de 2009 (69 anos) – causas não reveladas 

·                            Espanha 

·                  Peret27 de agosto de 2014 (79 anos) – cancro pulmonar 

·                            Holanda 

·                  Willem Duyn (Mouth & McNeal)4 de dezembro de 2004 (67 anos) – paragem cardíaca 

·                            Jugoslávia 

·                  Vladimir Frurduj1 de junho de 2015 (70 anos)  

Festival da Canção 

·                  Fernanda Farri 

·                  Maria Armanda (Green Windows) – 22 de dezembro de 2012 (64 anos) – AVC 

·                  Milo MacMahon (Duo Ouro Negro) – 4 de abril de 1985 (46 anos) – edema 

·                  Raúl Indipwo (Duo Ouro Negro) – 4 de junho de 2006 (72 anos) – pneumonia 

·                  Verónica  

·                  Xico Jorge – 22 de março de 2001 (54 anos) – cancro  

Nas belíssimas palavras de Vasco Graça Moura, homenageamos aqui todos estes cantores: Quando eu morrer murmura esta canção que escrevo para ti. Quando eu morrer fica junto de mim, não queiras ver as aves pardas do anoitecer, a revoar na minha solidão. Quando eu morrer segura a minha mão, põe os olhos nos meus se puder ser, se ainda neles a luz esmorecer. Não te esqueças de falar do nosso amor como se não tivesse de acabar, sempre a doer, de tanta perfeição. Ao deixar de bater-me o meu coração, fique por nós o teu ainda a bater.  Quando eu morrer segura a minha mão”. 

Fonte: Festivais da Canção

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s