Faleceu Mário Contumélias

Mário Manuel da Silva Contumélias nasceu a 3 de Junho de 1948 em Setúbal e aos 14 anos veio viver para Lisboa. Licenciou-se em Antropologia Social no ISCTE e foi doutorado em Sociologia. Foi jornalista, escritor e poeta e tem inúmeros livros publicados, entre romances e contos infantis.

Começou a sua atividade jornalística no jornal O Século, tendo-se mudado posteriormente para o Diário de Notícias. Mais tarde chefiou as redacções do Correio da Manhã, do qual foi fundador e posteriormente do jornal O Século. Foi presidente do Sindicato dos Jornalistas entre 1975 e 1976. Quando deixou as redacções de 1989 foi coordenador pedagógico do CENJOR (Centro de Formação de Jornalistas), durante mais de 20 anos. Foram seus alunos Catarina Furtado, Nuno Markl, Pedro Pinto, José Gabriel Quaresma, entre outros.

Dirigiu e fundou várias empresas de comunicação e em 1999 deixou a vida empresarial para se dedicar ao Ensino. Foi professor de Sociologia e Antropologia até ao final de 2010, quando começou a dedicar-se à investigação em Ciências Sociais e à escrita por inteiro. Tem vários trabalhos editados, sobretudo de literatura infantil, na qual se destacou.

Como poeta escreveu também inúmeras canções. Um dos marcos da sua carreira é a versão do tema O Areias (1982), interpretado por Suzy Paula. Participou em seis Festivais da Canção, sendo o primeiro em 1978, sendo autor do tema O Largo do Coreto, interpretado por José Cid. Voltou no ano seguinte com letrista do tema Cantiga de Amor, que Isabel Soares interpretou na 2ª semifinal. Nesse mesmo ano conseguiu chegar à grande Final com a canção O Comboio do Tua, um êxito de Florência e também com Quando Chego A Casa, interpretado por Manuel José Soares. Este último foi o seu grande parceiro de composição, sendo ele o autor das músicas dos temas dos quais Mário Contumélias fez a letra.

No Festival da Canção 1980 assinou novamente a letra do tema Concerto Maior, interpretado por Manuel José Soares e também do tema Agosto Em Lisboa, cantado por Zélia Rodrigues, ambos presentes na grande Final desse ano. Em 1981 voltou a ter uma letra sua no certame, desta vez o belíssimo tema Daqui Deste País, interpretado pelo grupo Bric-À-Brac. Para os Broa de Mel assinou a letra de No Calor da Noite, tema que concorreu ao Festival da Canção em 1983, este tema com música de Luís Duarte. A sua última participação no Festival foi em 1984, quando fez a letra de Num Olhar, composto por Júlio Costa, para a voz de Marisa.

Mário Contumélias faleceu ontem, dia 13 de Abril de 2017, aos 68 anos de idade, em sua casa, vítima de doença prolongada. O velório terá lugar esta sexta-feira pelas 16 horas na Igreja do Campo Grande, em Lisboa, onde será também realizada a missa de corpo presente, no sábado, às 12h45. O funeral partirá depois às 13 horas para o cemitério do Alto de São João, em Lisboa, onde será feita a cremação às 14 horas. Deixa para trás um sem número de recordações de todos os que com ele privaram. O nosso site presta assim homenagem a este grande nome da cultura portuguesa e transmite os maiores sentimentos a todos os familiares e amigos.

Fonte: Facebook Mário Contumélias, Expresso, Festivais da Canção

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s