José Sottomayor, Liana, Luís Espinho e Tânia Tavares comentam “Amar pelos Dois”

Continuamos a publicar as mensagens que temos recebido sobre a canção portuguesa para o Festival Eurovisão da Canção deste ano, o tema de Luísa Sobral, interpretado por Salvador Sobral que se intitula Amar pelos Dois. Estamos a verificar uma enorme onda de apoio em torno do nosso tema e os comentários que temos recebido são prova disso. O tema composto por Luísa Sobral para o seu irmão está a emocionar e cativar a opinião pública.

Hoje publicamos mais quatro testemunhos, desta vez de José Sottomayor, Liana, Luís Espinho e Tânia Tavares.

José Sottomayor nasceu a 7 de Setembro de 1948 no Porto e reside atualmente em Vila Real de Santo António. É autor de vários temas para o nosso Festival da Canção: Flor Sem Tempo interpretada por Paulo de Carvalho em 1971, em 1978 em Um Dia, Uma Flor cantada por Tonicha, no ano seguinte fez a letra do tema Quatro Letras (Vida) defendida pelo Grupo Gente e, finalmente, no ano 1984, foi o letrista da canção Este Quadro numa interpretação do duo Samuel & Cristina e também co-letrista de Maneira de Ser, interpretada a solo por Samuel. Normalmente fazia parceria com Pedro Calvário. Para além destas fez também letras para outros cantores como por exemplo Cândida Branca Flor.
Fique com as palavras de José Sottomayor sobre a nossa canção:
Penso que, pelos meus comentários in-time na meia-final e na final se percebe que é um tema excecional, simples e eficaz, excecionalmente interpretado e próprio para fazer regressar a Eurovisão a um festival de música na sua beleza essência. Foi o que tentei há 46 anos também com a versão inglesa feita. Será difícil, mas a composição é maravilhosa. Toda a sorte do mundo Salvador, Luísa e… Portugal.
José Sottomayor

Liana é o nome artístico de Liliana Andreia Carvalho da Costa, que nasceu em Coimbra a 27 de Dezembro de 1979. Começou a cantar fado logo desde cedo, tendo ganhou a Grande Noite do Fado em 1994 e 1996. Em 2000 participou no Festival da Canção, com o tema Sonhos Mágicos, alcançando a vitória. Ainda nesse ano é convidada por Filipe La Féria para desempenhar o papel de Amália Rodrigues na fase jovem, no musical Amália, no qual está cerca de cinco anos. Editou em 2004 o seu primeiro trabalho Fado.pt. Em 2007 juntou-se à banda luso-sueca Stockholm Lisboa Project com a qual editou dois trabalhos e esteve em variadíssimos concertos por todo o mundo. Regressou a Portugal em 2010, onde é convidada para um novo musical, Fado, História de Um Povo. Em 2013, gravou um grande disco intitulado Embalo, tendo feito uma digressão também por todo o mundo. É uma fadista por excelência e com atualmente encontra-se novamente a desempenhar o papel de Amália no musical com o mesmo nome.
Também ela não ficou indiferente à canção de Luísa Sobral e deixou-nos a seguinte mensagem:
Acho sublime, mágica… A simplicidade magistral da letra, a candura da melodia, o romantismo clássico da orquestra, e a veracidade da interpretação do Salvador.
Ando sempre a cantá-la, vez após vez após vez, no meu dia a dia (coisa que muito raramente me acontece). Porque é uma música que me faz sorrir no meio da rua. Tem aquele condão dos clássicos de jazz de ser profunda e calmante ao mesmo tempo.
E ouvi-la pelo Salvador, que tem das vozes mais bonitas que ouvi nos últimos tempos, e seguramente, uma das mais bonitas do país, é a simbiose perfeita.
Entristece-me, muito, a reação que teve por parte de muitos fãs eurovisivos Portugueses e, espero muito, muito mesmo, que os seus comentários, tantas vezes maldosos e de tão mau gosto, sejam coroados com um belíssimo lugar no certame.
Muito sinceramente, eu que tenho sido tão, tão critica à grande maioria das canções que temos apresentado, estou de coração cheio, orgulhosa da obra prima que o meu país vai apresentar e muito, muito confiante no melhor lugar de sempre.
Que nos faça acreditar que ainda vale a pena ser-se verdadeiro num mundo de música de plástico.
Liana

Luís Espinho nasceu a 9 de Janeiro de 1955, em Beja, cidade onde ainda reside. A sua carreira como músico e cantor começou em 1973. Integrou vários projectos dos quais se destacam os Green Windows, o grupo Baile Popular ou os Adiafa. Tem actuado com Celina da Piedade e as Vozes do Cante. Participou no Festival da Canção 1977, integrado na nova formação dos Green Windows, ao lado de Maria José Almeida, Joana Mendes e Fátima Padinha, em que interpretaram os temas O Que Custar e Rita, Rita, Limão.
Fique com as palavras de Luís Espinho acerca da nossa canção:
O tema, quando o ouvi, teve em mim o efeito de um vírus… mas um vírus para o qual não queremos que haja antídoto! Aquele poema só podia ter aquela música; aquela música só podia ser feita para aquele poema; e aquela canção só podia ser cantada assim, só podia ser cantada por quem a cantou! Emociona-me quando a oiço, porque não é fácil juntar numa canção, os três ingredientes que a transformam numa delícia para a Alma! Se há canção que roça a perfeição, esta é uma delas! E transcende qualquer concurso ou Festival! Vida longa aos manos Sobral!!
Luís Espinho

Tânia Tavares nasceu em Lisboa a 14 de Dezembro de 1978. É cantora, tendo participado em inúmeros projectos. Já fez coros para artistas como FF, Áurea ou os DAMA. Esteve presente em vários Festivais da Canção como elemento dos coros e em 2011 interpretou o tema Se Esse Dia Chegar, na qual foi também letrista em conjunto com Nuno Valério. Em 2015 fez parte dos coros do tema Há Um Mar Que Nos Separa, de Leonor Andrade, com quem pisou o palco do Festival da Eurovisão. Tem o projeto Troyia, em conjunto com Nuno Valério e Marios Gligoris. Atualmente faz parte do grupo Shout.
Fique com as declarações desta cantora:
Esta música vence pela maneira peculiar do Salvador a cantar que tanto tem de estranha como de extraordinária, uma simplicidade tal que quem não entender a língua portuguesa vai com certeza sentir a mensagem da letra. Sou fã do Salvador e acho que vai dar muito que falar.
Tânia Tavares

Agradecemos a José Sottomayor, LianaLuís Espinho e Tânia Tavares a sua colaboração. Aceda aqui aos comentários já publicados anteriormente.

Fonte: Festivais da Canção | Depoimentos recolhidos por Miguel Meira

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s