Héber Marques, Inês Sousa, Joana Sequeira Duarte e Jorge Benvinda comentam “Amar pelos Dois”

Continuamos a publicar as mensagens que temos recebido sobre a canção portuguesa para o Festival Eurovisão da Canção deste ano, o tema de Luísa Sobral, interpretado por Salvador Sobral que se intitula Amar pelos Dois. Estamos a verificar uma enorme onda de apoio em torno do nosso tema e os comentários que temos recebido são prova disso. O tema composto por Luísa Sobral para o seu irmão está a emocionar e cativar a opinião pública.

Hoje publicamos mais quatro testemunhos, desta vez de Héber Marques, Inês Sousa, Joana Sequeira Duarte e Jorge Benvinda.

Héber Marques é compositor e vocalista da banda HMB, que tem feito sucesso em Portugal. Foi uma das novas apostas deste Festival da Canção. Desde os 15 anos que a música é a sua paixão e mistura vários géneros e influências musicais. O seu grupo HMB tem tido um enorme sucesso desde há dois anos e têm feito colaborações com vários artistas. Héber Marques foi letrista e co-compositor dos temas Volta e Por Ti Eu Espero, do novo último trabalho de Rita Guerra. Esteve presente no Festival da Canção 2015, com o tema Dança Joana, interpretado por Filipe Gonçalves, que apesar de não ter passado à final se tornou num êxito enorme. É da sua responsabilidade também o enorme êxito O Amor É Assim, dos HMB e Carminho. Voltou ao Festival da Canção 2017 como autor e compositor do tema O Teu Melhor, interpretado por Rui Drumond na 1ª semifinal.
Fique com as palavras de Héber Marques sobre a nossa canção:
Desde a primeira vez que ouvi a canção, fiquei comovido com ela. Foi num ensaio para a primeira semifinal do Festival da Canção. A simplicidade da melodia, a história que ela nos conta, o sublime arranjo de cordas e a interpretação desconcertante do Salvador, fizeram do “Amar Pelos Dois” automaticamente uma minha canção preferida. É uma canção intemporal.
Héber Marques

Inês Sousa nasceu a 9 de Fevereiro de 1986. Vive em Lisboa e estudou na Escola Superior de Música de Lisboa e no Hot Clube de Portugal. Fez inúmeros concertos dentro da área do jazz e participou como vocalista no disco Wonderwheel de André Fernandes. Foi a última intérprete escolhida para este Festival, depois da desistência de Elisa Rodrigues. Interpretou o tema Se O Tempo Não Falasse, da autoria de Noiserv, que esteve na 2ª semifinal do Festival da Canção 2017.
Também ela não ficou indiferente à canção de Luísa Sobral e deixou-nos a seguinte mensagem:
Adorei a canção “Amar pelos Dois” desde a primeira vez que a ouvi. É o conjunto feliz de várias coisas muito boas: a música e letra da Luísa Sobral são incríveis só por si, mas o arranjo do Luís Figueiredo leva a canção para outro patamar, culminando com a voz e interpretação do Salvador Sobral.
Se vamos ganhar a Eurovisão? A meu ver já ganhámos. Sinto muito orgulho de ter uma canção daquele calibre a representar o que se faz por cá. É um excelente cartão de visita para a música nacional que está cada vez mais rica.
Inês Sousa

Joana Sequeira Duarte nasceu a 21 de Dezembro, é de Valpaços, mas vive em Lisboa. É uma autêntica mulher dos sete ofícios, dado que é arquitecta, coreógrafa, dançarina e música. É vocalista do grupo Happy Mess, fundado em Outubro de 2011. Neste grupo toca também sintetizadores e dele fazem parte também o jornalista Miguel Ribeiro, Rui Manuel Costa, Pedro Rita Madeira e João Pascoal. É um projecto dentro do estilo Indie Rock, tendo alcançado grande sucesso no nosso país. Têm um EP e dois discos editados, o último deles intitulado Half Fiction, que foi editado pela Sony Music no final de 2015. O grupo para além do indie rock mistura também nos seus temas algumas tonalidades da música electrónica. Foi a letrista do tema My Paradise, interpretado por David Gomes na 2ª semifinal do Festival da Canção 2017, composto por Toli César Machado.
Fique com as palavras de Joana Sequeira Duarte acerca da nossa canção:
É uma boa canção e as boas canções chegam muito longe (felizmente!). E o Salvador, com uma interpretação exímia, cria uma espiral de força que nos segura à canção de segundo em segundo, talvez também pela honestidade, certa ingenuidade e clareza com que as palavras são cantadas. Tudo se entende e é com estes exemplos que se percebe de facto a capacidade universal da música, longe de barreiras linguísticas ou até estilísticas.
Espero que corra bem em Kiev porque aqui já está a correr bem. 😊
Joana Sequeira Duarte

Jorge Benvinda nasceu e reside em Beja. Com Nuno Figueiredo forma o grupo Virgem Suta em Beja, um grupo apoiado pela produção de Hélder Gonçalves dos Clã. Compuseram muitos temas até se tornarem conhecidos e hoje uma das bandas de referência das novas sonoridades musicais da música portuguesa. Começaram o seu caminho em 2008 e contam já com dois discos: Virgem Suta (2009) e Doce Lar (2012). O tema Ela Queria é um dos seus temas mais conhecidos, tendo sido já banda sonora da novela Santa Bárbara. No Festival da Canção 2017 interpretou o tema Gente Bestial, com letra e música de Nuno Figueiredo e produção de Bruno Vasconcelos. Foi um dos temas finalistas, classificando-se em 4º lugar.
Fique com as declarações deste cantor sobre o nosso tema:
Acho que é uma canção brilhante, muito bonita, com uma interpretação excepcional…
Jorge Benvinda

Agradecemos a Héber Marques, Inês SousaJoana Sequeira Duarte e Jorge Benvinda a sua colaboração. Aceda aqui aos comentários já publicados anteriormente.

Fonte: Festivais da Canção | Depoimentos recolhidos por Miguel Meira

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s