José Cid, Patrícia Tavares, Rogério Charraz e Ruben Madureira comentam “Amar pelos Dois”

Continuamos a publicar as mensagens que temos recebido sobre a canção portuguesa para o Festival Eurovisão da Canção deste ano, o tema de Luísa Sobral, interpretado por Salvador Sobral que se intitula Amar pelos Dois. Estamos a verificar uma enorme onda de apoio em torno do nosso tema e os comentários que temos recebido são prova disso. O tema composto por Luísa Sobral para o seu irmão está a emocionar e cativar a opinião pública.

Hoje publicamos mais quatro testemunhos, desta vez de José CidPatrícia Tavares, Rogério Charraz e Ruben Madureira.

José Cid, falar sobre este incontornável nome da música portuguesa é fácil e complicado. Fácil porque a sua carreira é conhecida do grande público e complicado porque não cabe neste espaço tudo o que se pode e deveria dizer de José Cid. Este autor compositor e intérprete continua a somar sucessos e a esgotar as maiores casas de espetáculos do nosso pais.
As sua participações nos Festivais da Canção são muitas, assim iremos só destacar as vezes que subiu aos palcos dos festivais enquanto cantor porque enquanto compositor foram muitas mais.
Iniciou as suas presenças no Festival da Canção de 1968 com Balada para D.Inês, seguiu-se A rosa que te dei (1974), Imagens e No dia em que o rei fez anos (ambas nos Green Windows em 1974), O meu piano (1978), Aqui fica uma canção (1978), Porquê, meu amor porquê (1978), O largo do coreto (1978), Um grande, grande amor (1980, representando Portugal na Eurovisão), Morrer de amor por ti (1981), O poeta, o pintor e o músico (Cid, Bragança & Cª em 1993) e em 1998 sobre ao palco do ESC integrado nos Alma Lusa com a canção Se eu te pudesse abraçar.
Fique com as palavras de José Cid sobre a nossa canção e para Salvador Sobral:
A canção do Salvador é um bocadinho contra a ideia de Festival, o que nesta altura só vai ajudar porque se vai demarcar das outras, o que contribui para  que o Salvador Sobral possa estar entre os três primeiros. Quero-lhe desejar boa sorte e que tudo corra bem e que tenha a saúde correspondente ao seu talento. Já agora pedia ao Salvador que respondesse às mensagens simpáticas e incentivadoras que lhe tenha mandado por sms.
José Cid

Patrícia Tavares nasceu em Lisboa, a 6 de Novembro de 1977. Desde cedo que a sua paixão pela representação esteve presente na sua vida. Fez figuração em alguns filmes no final da década de 80 e a partir da década de 90 que é uma das atrizes mais requisitadas em televisão. O seu primeiro papel foi em 1995, na novela Roseira Brava, com o qual teve um grande destaque. Seguiram-se depois mais desempenhos extraordinários em Vidas de Sal, Filhos do Vento ou Terra Mãe, todas elas na RTP. Na SIC participou nas novelas Ganância e O Olhar da Serpente. Recentemente tem estado na TVI onde pudemos vê-la em Morangos Com Açúcar, Olhos Nos Olhos, Remédio Santo ou Jardins Proibidos. Podemos vê-la actualmente com Lígia em A Impostora.
Fique com as palavras de Patrícia Tavares sobre a nossa canção:
A interpretação do Salvador é de uma delicadeza e de uma suavidade absolutamente avassaladoras. Tenho a certeza de que proporcionará um momento único e inesquecível. Vou estar colada ao ecrã, não vou querer perder um segundo.
Patrícia Tavares

Rogério Charraz nasceu em Março de 1978, em Lisboa. Durante os anos 90 começou a tocar em várias bandas, das quais se destacam os Boémia, com os quais editou dois discos. Colaborou com diversos artistas como Luís Represas, Fausto, José Mário Branco, entre outros. O seu primeiro trabalho a solo é editado em 2011 e tem por título A Chave. Depois disso já editou mais dois discos: Espelho (2014) e Não Tenhas Medo do Escuro (2016). Tem feito inúmeros espetáculos por todo o país.
Também ele não ficou indiferente à canção de Luísa Sobral e deixou-nos a seguinte mensagem:
Tudo nesta canção é bonito, até o título. Na verdade, a Luísa e o Salvador puseram este país a amar pelos dois e por isso eles já ganharam e todos nós também. Emociono-me sempre quando a força de uma canção vence todas as barreiras. Sem truques, sem fórmulas, sem pré-requisitos. Apenas e só a beleza da conjugação da melodia com a harmonia, servidos pelo poder da voz e da interpretação.
Rogério Charraz

Ruben Madureira nasceu a 29 de Abril de 1982, no Porto, mas atualmente vive em Lisboa. Foi finalista da segunda edição do programa Ídolos, na SIC e tem desempenhado papéis brilhantes em várias produções de Filipe La Féria, tais como Jesus Cristo Superstar, Música No Coração, Um Violino no Telhado, Piaf ou O Musical da Minha Vida, entre outros. Tem colaborado também nos musicais de Tó Leal e da Contracanto, onde recentemente fez um papel notável em Aristides.
Fique com as palavras de Ruben Madureira acerca da nossa canção:
Acredito que a música se estenda e exista para além das notas musicais e a música “Amar pelos dois” assim como a interpretação do Salvador é tão vibrante cristalina e honesta que põe a música imediatamente noutro patamar, não estou à espera de resultados pois tenho a certeza de que mesmo com os jogos de cintura do Festival ninguém ficará indiferente à prestação do Sobral. Abraços a todos.
Ruben Madureira

Agradecemos a José CidPatrícia Tavares, Rogério CharrazRuben Madureira a sua colaboração. Aceda aqui aos comentários já publicados anteriormente.

Fonte: Festivais da Canção | Depoimentos recolhidos por Carlos Portelo e Miguel Meira

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s