Portugal vence o ESC2017 – A queda dos dogmas

Finalmente Portugal venceu o Festival Eurovisão da Canção, à sua 49ª tentativa.
Ao longo de décadas de discussão como deveria ser a aposta vencedora de Portugal na Eurovisão muito se especulou, nomeadamente desde que foi quebrada a obrigatoriedade de cantar no idioma materno,assim como a possibilidade de compositores estrangeiros puderem  participar nas finais nacionais de outros países, permitindo assim aos fãs puderem concorrer enquanto letristas. Cantar em inglês canções de compositores estrangeiros eram aspetos que para alguns consistiam a chave da solução para triunfarmos no ESC.

Nos últimos anos, em Portugal, alguns que julgavam ter a chave do sucesso defendiam como verdade inabalável  que este chegaria com um tema pop, cantado em inglês, de preferência da autoria de compositores estrangeiros, com coreografias exuberantes e um dispendioso videoclip.
Estas certezas foram contrariadas pela simples e arrebatadora aposta da RTP para Kiev que saiu incontestavelmente vencedora, mesmo antes de o ser.
Logo que o tema  Amar pelos Dois se consagrou vencedor no Coliseu dos Recreios de Lisboa se espalhou pelo mundo, de modo viral, subindo de imediato nas bolsas de apostas. A canção de Luísa Sobral foi alvo das melhores criticas internacionais que se multiplicaram em vários artigos e na proliferação de  múltiplas versões no Youtube.
Porém, havia quem duvidasse da sua eficácia eurovisiva por fugir aos habituais cânones festivaleiros. Fizeram mal porque a Europa se rendeu à nossa aposta, não só passou à final em primeiro lugar, com venceu o certame na votação do júri e de televoto.

A beleza da linha melódica e do poema de Luísa Sobral, o extraordinário arranjo de cordas de Luís Figueiredo e a interpretação única de Salvador Sobral foram suficientes, sem quaisquer artifícios, para a Europa se render ao nosso tema para o ESC2017.
Portugal trocou o tecnológico palco principal pelo modesto palco secundário, trocou os possíveis seis elementos em palco pela prestação diferente, simples e comunicativa de Salvador Sobral, trocou os brilho das roupas por um discreto fato preto, na verdade trocou a exuberância pelo simples, mas belo. Como alguns conceituados órgãos de comunicação social têm dito, o nosso país fez batota em levar a Kiev uma canção de tão grande qualidade, quando não era suposto.
Amar pelos Dois venceu confortavelmente com 143 pontos de vantagem do seu mais direto concorrente que foi o tema representante da Bulgária. A nossa canção apresentou-se nua de artifícios, mas vestida de uma beleza e de uma qualidade arrasadora.

Os portugueses viram um sonho seu ser realizado, o de ver Portugal vencer o Festival Eurovisão da Canção, na medida em que éramos o país que participava há mais tempo neste concurso sem o ter vencido, isto até ao dia 13 de maio de 2017.

A canção Amar pelos Dois e Salvador Sobral fizeram cair vários dogmas em Portugal e na Europa como o de cantar em inglês,  o exagero de artifícios em palco, a indústria de fazer canções supostamente eurovisivas, as coreografias rebuscadas, o glamour e o fogo de artificio usados muitas vezes a despropósito, para esconder na grande maioria dos casos a ausência de qualidade musical.

Luísa Sobral e Salvador Sobral mostraram com a sua canção, como é possível vencer o Festival Eurovisão da Canção com qualidade e simplicidade e que a qualidade não tem que estar dissociada da popularidade. Amar pelos Dois foi na verdade amada pelo júri que a votou para primeiro lugar com 382 pontos e também pelo público que a posicionou igualmente  em primeiro lugar com 376 pontos.

Há muito que eu defendia que para um país geograficamente periférico como Portugal só pela diferença poderíamos chegar à vitória no Festival Eurovisão da Canção e na altura pensava num fado porque é um estilo musical só nosso. Amar pelos Dois não é um fado, mas tem um estilo nosso e é diferente e foi com esta diferença que arrebatámos a Europa e podemos dizer que o mundo.

Ainda antes do nosso Festival da Canção e sem conhecermos os 16 temas que iriam estar a disputar o bilhete para a Ucrânia criamos o slogan, como que de modo premonitório: De Lisboa a Kiev uma canção para o sucesso e não nos enganámos porque o sucesso foi tal que de Kiev trouxemos para Lisboa o Troféu e tudo indica que a realização do ESC2018 será na capital portuguesa.

Resta-me dar os parabéns aos vencedores Luísa Sobral, Salvador Sobral e Luís Figueiredo e em especial à RTP que acreditou nos compositores portugueses que tornou possível um grande Festival da Canção 2017 de onde emergiu a canção que mais que Amar pelos Dois amou por todo um país que desejava e há muito merecia esta vitória no Festival Eurovisão da Canção. Como esta vitória teve uma sabor tão especial!

Fonte: Festivais da Canção

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s