Pára Tudo – Carlos Costa responde a Cláudio Ramos |Tertúlias cor-de-rosa nas TV’s|

As estações de televisão privadas há muito que têm pseudo-comentadores para no fundo falarem da vida dos outros, através do que as revistas chamadas de cor-de-rosa publicam, são rubricas televisivas fúteis que nada acrescentam à cultura deste país e à vida das pessoas.

Por vezes estes comentadores excedem-se e ofendem cantores, atores, apresentadores e jornalistas visados nas suas crónicas ou comentários e quando não ofendem diretamente fazem juízos de valores enviesados como foi o que aconteceu há dias nos comentários tecidos por uma mãe e sua filha a uma entrevista que Salvador Sobral deu a Fátima Lopes.

Antes de me passar a referir ao assunto central deste artigo gostaria de deixar aqui algumas perguntas direcionadas a todos e em especial às estações de televisão que têm nas suas programações estas tertúlias ou como lhes quiserem chamar porque para mim será sempre falar da vida alheia, mesmo com muita maquilhagem televisiva, estas conversas não passam disso mesmo, conversas e especulações sobre a vida dos outros, esses sim na sua grande maioria com créditos firmados nas variadas áreas culturais em que se inserem.
Aqui ficam as minhas perguntas:
O que é que estas tertúlias acrescentam à vida cultural de Portugal ou que interesse têm para os telespetadores?
O que fizeram profissionalmente a grande maioria destes pseudo-comentadores para terem tanta projeção mediática? Que canções cantaram? Que peças de teatro representaram? Que livros dignos deste nome escreveram? O que fizeram de culturalmente válido?
Porque não, as respetivas estações de televisão substituírem estes comentadores e o respetivo espaço televisivo, para darem a vez aos cantores profissionais portugueses que o público tanto gastaria de ver na TV? Ah mas que lhes paguem porque se os ditos comentadores recebem os cantores e músicos  profissionais deste país merecem muito mais e não dizem mal de ninguém porque fazem cultura com a sua arte e seria sempre nesta qualidade que deveriam ser convidados.

Numa dessas conversas sobre a vida alheia Cláudio Ramos terá dito na SIC que existiam duas coisas das quais não falaria, uma era o papel higiénico e a outra era Carlos Costa (o cantor). Por este tipo de comentário se vê o nível de elevação ou falta dele que grassam neste tipo de tertúlias que não passam de conversas sobre a vida dos outros.
Como diz um ditado português quem não se sente não é filho de boa gente, Carlos Costa ao fim de ser visado múltiplas vezes por Cláudio Ramos resolveu brindá-lo com este vídeo. Voltando a citar um outro provérbio luso: Quem diz o quer ouve o que não quer.

Ainda hoje voltaremos com mais um alvo destas ditas tertúlias, o visado foi Salvador Sobral por uma mãe e uma filha muito mediáticas (vá-se lá saber porquê)! Embora neste caso o nível não desceu ao ponto do que está aqui em destaque.

Fonte: SIC, Carlos Costa

4 pensamentos sobre “Pára Tudo – Carlos Costa responde a Cláudio Ramos |Tertúlias cor-de-rosa nas TV’s|

  1. Parabéns Carlos Portelo. Brilhante peça de reportagem. Como diz o C. Costa, isto é de quem os tem no sítio. Mais uma vez, os meus sinceros Parabéns.Bruno Penim

  2. Ao Carlos há que se lhe tirar o chapéu por tantas vezes aguentar em silêncio e quando respondeu ter feito de forma digna!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s