Raquel Tavares afirma que “A Eurovisão ganhou uma nova vida em Portugal”

Raquel Tavares é uma das mais conceituadas fadistas da nova geração deste estilo musical. Com uma enorme capacidade vocal aliada a toda a alma fadista, Raquel Tavares tem conquistado o seu público em Portugal e no estrangeiro. A fadista deu recentemente uma entrevista ao site Notícias Ao Minuto, onde fala do seu bairro, Alfama, de se associar o Fado à tristeza e do fenómeno Salvador Sobral.

Raquel Tavares tem orgulho no bairro onde vive e isso transparece a cada frase que diz. Começou a cantar fado aos seis anos de idade e foi pela fadistice que resolveu morar num dos bairros mais típicos de Lisboa, o bairro de Alfama, que serviu de cartão de visita do vídeo do seu mais recente êxito Meu Amor de Longe, que para ela não é um fado, mas sim uma canção cantada por uma fadista.

Raquel Tavares reforça no entanto que o bairro de Alfama está a mudar, sobretudo pela quantidade de pessoas que tem saído daqui e devido à enorme vaga de turistas que vêm para Alfama todos os dias. A fadista refere que é bom para a economia mas descaracteriza o bairro e as suas gentes, que aqui vivem há tantos anos, com os seus tascos, mercearias, talhos, roupa lavada estendida à janela, entre tantas outras coisas.

Aos 32 anos Raquel Tavares fala que o fado não é triste, que isso é um perfeito disparate. Cantar o Fado para ela é cantar a vida. O fado tradicional tem coisas felicíssimas, como por exemplo A Casa da Mariquinhas, de Alfredo Marceneiro, entre tantos outros fados que são bastante alegres. Raquel Tavares diz que devia ter sido feito um projeto para apresentar o Fado nas escolas logo quando esteve foi considerado Património Imaterial da Humanidade, contando a história deste estilo musical tão nosso.

A cantora falou também da felicidade que tem com o seu primeiro grande êxito, Meu Amor de Longe, que toda a gente conhece e que isso é bastante gratificante, como também o tema Amor Maior, genérico da telenovela da SIC com o mesmo nome, que faz com que a sua voz seja muito mais conhecida e haja uma maior promoção. Raquel Tavares fala também das novas plataformas digitais referindo, que não tem ainda uma opinião formada, mas que é uma das pessoas que compra discos e que gosta muito de o fazer.

Raquel Tavares reforça que a música deve servir para unir as pessoas, como aconteceu no concerto Juntos Por Todos, para ajudar as vítimas de Pedrogão Grande. A fadista diz que a música é uma linguagem universal, e que apesar de detestar a conotação de figura pública, esta deve ter um utilidade cívica, para causas dignas e necessárias.

Posteriormente, Raquel Tavares referiu ter vivido a vitória na Eurovisão de Amar pelos Dois, interpretada por Salvador Sobral, como se fosse sua. A fadista refere que não conhecia o Salvador Sobral, embora já conhecesse a irmã Luísa Sobral. Raquel vai mais longe e refere que: Vivi aquela vitória como se fosse minha. Música portuguesa, bonita, bem feita, com bom gosto e bem cantada, é o que me parece. Aquele menino tem isto tudo e aquela menina fez isto tudo. Eu até já cantei a música em concertos porque gosto dela, porque me apeteceu cantá-la.

Para ela o fenómeno Salvador começou muito antes da vitória na Eurovisão, quando foi à eliminatória, por causa da controvérsia. A controvérsia é o melhor que pode acontecer. E a verdade é que quem falou mal teve de se calar. A Eurovisão ganhou uma nova vida em Portugal pela controvérsia. A vitória foi a cereja no topo do bolo

Para Raquel Tavares pela primeira vez em Portugal, o país voltou a parar para ver a Eurovisão, como fazia quando eu era miúda. Há quantos anos isto não acontecia? E isto a propósito da controvérsia que o Salvador criou, porque ele era bom mas criava discórdia. E o bom ganhou, porque o que importa é a música, o seu intérprete e o autor, não é o espetáculo nem o fogo-de-artifício. O festival ganhou uma nova vida em Portugal pela controvérsia. A vitória foi a cereja no topo do bolo e uma chapada com luvas de pelica a quem acha que aquilo não é música representativa da canção portuguesa.

Raquel Tavares representou Portugal no Eurovision Dance Contest 2008, onde fez par com João Tiago, tendo dançado uma rumba e um tango de forma brilhante. Apesar disso classificou-se num modesto 8º lugar com 61 pontos, entre 14 concorrentes.

Recorde nos vídeos em baixo a atuação de Raquel Tavares e o seu grande êxito Meu Amor de Longe.

Fonte: Notícias Ao Minuto, Festivais da Canção

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s