Pedro Jordão edita CD “Era tão azul”

Pedro Jordão foi o compositor de sete das canções que na década de 60 do século passado marcaram presença nos Festivais da Canção e uma na década de 70.
Este compositor fez parceria com o autor Rui Malhoa em cinco temas, com António José em dois e assinou letra e música de uma outra canção.
Pedro Jordão e Rui Malhoa apresentaram a concurso as seguintes canções:
Balada da traição do mar (1967) interpretada pelo próprio Rui Malhoa, Vento não vou contigo (1968) por Mirene Cardinalli, Fui ter com a madrugada (1968) por Tonicha, Ao vento e às andorinhas (1968) por João Maria Tudella e Canção ao meu piano velho (1968) por Simone de Oliveira.
A dupla Pedro Jordão e António José levaram ao Festival da Canção de 1968 as canções Calendário e Dentro de outro mundo interpretadas respetivamente por Tonicha e Simone de Oliveira.
Pedro Jordão foi autor e compositor da única canção que não se conhece e nunca foi gravada do Festival da Canção de 1975, o tema Leilão da lata a que Fernando Gaspar deu voz.

Este compositor editou recentemente um CD duplo, intitulado Era tão azul com músicas de sua autoria e letras de Carlos Lopes Pires, todas as canções são interpretadas pelo próprio Pedro Jordão com exceção dos temas As cinzas e Fui ver a chuva a que Nuno Brito, elemento do grupo Oriundi (FC1997) deu voz.

Alinhamento deste trabalho discográfico:
CD1
1. Sentei-me com uma formiga 2. Tanta coisa diferente 3. Uma formiga disse-me 4. Estava cansado de estar morto 5. Aprendiz de solidão 6. Como explicar? 7. As cinzas que ficaram 8. Para Norte 9. No silêncio da semente 10. Canção 11. Para um epitáfio 12. Era tão azul

CD2
1. Deus dirige-se ao pintassilgo 2. Pedido 3. O pintassilgo dirige-se a Deus 4. A rosa 5. Tristeza de nada 6. Havia um mar 7. Nunca entendi a chuva 8. Quando chegar o tempo 9. Diz-me quando 10. Desejei ser um dia a tua mão 11. Se um dia for a tua mão 12. Se encontrares este poema

Fique com dois temas deste álbum duplo de Pedro Jordão e com a canção que colocou este compositor mais perto da Eurovisão. Foi em 1968 e chama-se Fui ter com a madrugada, a voz era a de Tonicha e faltaram-lhe apenas dois escassos pontos de empatar com o vencedor Verão e a três de ter conseguido o visto para Londres.

Nossas notas sobre este CD: Qualidade | Surpresa | Didático

Fonte: Festivais da Canção

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s