Fomos ver “Let The Sunshine In” e viemos com a alma cheia

Fomos ver ontem o musical Let the Sunshine In que faz uma viagem pelos factos e músicas que marcaram os anos 60 do século passado. Canções que embora nascendo nesta década perpetuaram-se como grandes temas de sempre da música internacional.

Em palco Henrique Feist, Vanessa Silva, Daniel Galvão, Diogo Leite, Valter Mira e uma banda dirigida por Nuno Feist. Foi cerca de hora e meia de boa música e grandes interpretações, um espetáculo que devido ao sucesso obtido junto do público que ontem encheu a o Auditório do Casino Estoril se prolongará pelo mês de Setembro, a todas as sextas-feiras e sábados.
Em pleno mês de Agosto com muitos dos moradores da área de grande Lisboa a usufruírem das suas férias fora da capital portuguesa este musical continua a contar com a presença do público português.

O espetáculo inicia-se com La valse à mille temps na interpretação de Henrique Feist e termina com o tema que dá nome ao espetáculo Let the Sunshine In com todos os intérpretes e músicos em palco a transmitirem esta calorosa mensagem e a entregarem ao público este sol brilhante que emana das suas vozes e almas de excelentes atores e intérpretes.

Henrique Feist está no seu melhor trazendo a este musical o seu lado de excelente, ator, cantor e bailarino. Como já há algum tempo temos vindo a dizer ele reúne em si excelentes características que fazem de si o grande profissional que é. Nas suas expressões faciais as mensagens musicais passavam como se tivessem legendas. O Teatro está nele e é no Teatro que Henrique Feist é profissionalmente completo.  Como há alguns anos interpretou no Cabaret ele é realmente do Teatro o Teatro está no seu ADN.

Vanessa Siva está de regresso aos palcos portugueses após prolongada ausência, para nós pareceram séculos, em digressão pelo mundo. A única intérprete feminina deste musical, ela é certamente o sol que brilha forte neste musical. Numa perfeita  e harmoniosa interação com as figuras masculinas deste musical ela tem tudo na voz. Alguém na sala perguntava o que é que Vanessa Silva tem menos que Tina Turner e outro alguém respondeu apenas duas coisas, menos idade e nasceu em Portugal, mas o talento e o poder interpretativo é tão grande ou ainda maior que o dessa mítica figura do espetáculo norte-americano.

Daniel Galvão, Diogo Leite e Valter Mira são os restantes atores e cantores deste musical dando um valoroso contributo de talento jovem a todo o musical e que bem que interpretaram o célebre Ele e Ela que Madalena Iglésias popularizou e imortalizou.
Não podemos de deixar de destacar Daniel Galvão por todas as qualidades artísticas que este jovem talento possui, com um excelente poder vocal e interpretativo, assim como os seus dotes enquanto ator.
Daniel Galvão não é uma estreia neste musical, na medida em que apesar se ser muito jovem já participou em vários espetáculos teatrais e na última edição do The Voice foi um dos mais fortes candidatos à vitória e que bem que lhe teria assentado.
Em Let the Sunshine In Daniel Galvão brilha e revela-se como um proeminente ator e cantor.

Não podemos deixar de mencionar Nuno Feist e os restantes elementos da banda que tocaram praticamente durante uma hora e meia sem parar. O maestro e o músico Nuno Feist brinda-nos com a interpretação de duas canções, sim porque ele também canta e bem, lembram-se dele no duo Nuno & Henrique? Pois é verdade, como La Bohème lhe assentou tão bem!

Pedro Bandeira foi o criador de todas as coreografias deste espetáculo, um trabalho digno de referência.

Algumas das canções portuguesas dos anos 60 também fazem parte do alinhamento do espetáculo como Ele e Ela (FC/ESC1966), Óculos de Sol e Desfolhada (FC/ESC1969), originalmente interpretadas e popularizadas respetivamente por Madalena Iglésias, Natércia Barreto e Simone de Oliveira. Neste musical as interpretações couberam Daniel Galvão, Diogo Leite e Valter Mira (Ele e Ela), Vanessa Silva (Óculos de Sol) e Todos em Desfolhada.
Por falar em festival foi muito bom ver Vanessa Silva em Non Ho L’età, a canção que representou a Itália e se tornou a grande vencedora do ESC1964, ano em que Portugal iniciou as suas presenças no Festival Eurovisão da Canção.

São muitos os motivos porque recomendamos este musical, deixe o sol inundar a sua vida porque ele sai do palco do Auditório do Casino Estoril diretamente para a plateia, deixe este caloroso sol entrar em si e não precisa de protetor porque estes raios de sol não causam danos dermatológicos.

No final e já nos agradecimentos Henrique Feist destacou a nossa presença e teceu palavras elogiosas ao nosso trabalho na divulgação da música e do teatro em Portugal.

Aceda aqui ao nosso anterior destaque de promoção deste espetáculos no vários programas das estações de televisão portuguesas.

Henrique Feist – FC1985-FC2007-FC2011
Vanessa Silva – FC2007-FC2008-FC2010
Nuno Feist – FC1985-FC1995-FC2007-FC2008-FC2010-FC2011-FC2012-FC2014-FC2015-FC2017

Fonte: Festivais da Canção | Elementos do site destacados: Carlos Portelo, Luís Pereira e Maria Fernanda Fonseca

4 pensamentos sobre “Fomos ver “Let The Sunshine In” e viemos com a alma cheia

  1. Pingback: Prémios Festivais da Canção 2017 – Melhor Peça de Teatro |Vote| |

  2. Pingback: 2017 em revista – Fomos Destaque |

  3. Pingback: Prémios Festivais da Canção 2017 – O Melhor Cantor |Vote| |

  4. Pingback: Prémios Festivais da Canção 2017 – A Melhor Cantora |Vote| |

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.