“Pugna” por Surma – os nossos comentários

À semelhança do que temos feitos nos últimos anos os elementos do nosso site irão comentar e pontuar, de 0 a 20, os 16 temas participantes no Festival da Canção 2019. Nos seus mais variados estilos as canções deste certame primaram pela diversidade e pela qualidade, e é de enaltecer o trabalho feito pela RTP em prol da música nacional dado que é o único programa / concurso onde são apresentadas músicas originais. Depois de termos comentados os temas que ficaram pelas semifinais, comentamos agora os oito temas finalistas.

Canção nº 4 – Pugna – Surma
Letra: Tiago Félix | Música: Surma
Classificação na Final – 5º lugar com 12 pontos
Classificação do nosso painel – 116 pontos

André Miguel Godinho – Uma daquelas canções que se estranha, que parece uma confusão, mas onde tudo faz sentido. A atuação foi fabulosa, fazendo esta ser uma das propostas mais interessantes que passou pelo Festival dos últimos anos! 16/20

Carlos Portelo – Eis a canção que marca a diferença mais profunda no Festival da Canção. Uma proposta arrojada e muito alternativa. Muito bem colocada em palco, porém mesmo em televisão tenho dificuldade em perceber o que a cantora diz a cantar. Tenho sérias dúvidas se funcionaria na Eurovisão, mas que é diferente é… 10/20

Filipe Coelho – Uma obra de arte que não será compreendida por todos. Uma apresentação em palco ao modo de Surma, uma canção eletrónica com ambient grooves e uns simples kicks. Obrigado Surma. 19/20

Gonçalo Coelho – Esta é uma canção difícil de compreender e de gostar, mas há que reconhecer que foi uma merecida finalista – foi a proposta mais inovadora desta edição do Festival da Canção. Sendo diferente e arrojada, esta canção conseguiu cativar a nossa atenção com a atuação mágica e envolvente em palco, das poucas que tirou grande partido dos ecrãs e das luzes. A voz de Surma, bem como a sua expressão corporal, foi um elemento fundamental para nos guiar ao seu próprio mundo imaginado, onde a música não tem regras nem fórmulas. Parabéns a todos os envolvidos nesta canção, e também à RTP, pela coragem de convidar a pessoa responsável por incluir este Pugna no alinhamento do Festival. 16/20

Luís Pereira – Confesso que levei algum tempo a aderir a este tema. É interessante mas parece-me que vale mais pelo espectáculo do que propriamente pela canção embora o conjunto seja bom. Apesar disso seria a minha segunda opção para o ESC. Acho que ela e o Conan elevaram o Festival da Canção a um patamar completamente novo. Fiquei com receio que não resultasse em TV mas enganei-me. 17/20

Maria Fernanda Fonseca – Esta é a segunda canção que na minha opinião também não me fazia falta ver na final. Quanto à encenação, apresentou-se muito bem e para quem esteve a assistir ao vivo como foi o meu caso, senti que estava a ser levada numa nave espacial e visualmente gostei. Quanto à voz, difícil de perceber as palavras, musicalmente alguns timbres invulgares, ficará na recordação de todos os fãs que a admiram e que seguem o seu trabalho. O restante público vai esquecer, se é que já não estará esquecida. 10/20

Miguel Meira – Bem-vindos ao mundo de Surma! Sem dúvida a proposta mais arrojada e alternativa deste Festival da Canção! A melhor apresentação em palco da noite, sem menor dúvida! Letra fantástica a lembrarmos as pugnas diárias que temos de enfrentar mas que foi gravemente prejudicada por não se perceber a mesma. Não consigo gostar deste tema alternativo demais, mas dou os meus parabéns a Surma por nos trazer o seu mundo e fazer com que mais pessoas conheçam o seu trabalho. Ela marcou a diferença neste Festival. 10/20

Vasco da Câmara Pereira – Aqui está uma canção que se calhar precisava ainda de mais tempo para falar dela. Quando a ouvi pela primeira vez achei-a completamente desajustada e sem um fio condutor concreto. Mas a minha opinião tem mudado radicalmente sempre que a ouço: cada vez gosto mais do que nos foi oferecido pela Surma. Pugna não é uma canção fácil, de primeira audição. Atrevo-me mesmo a citar Fernando Pessoa primeiro estranha-se, depois entranha-se. Não considero que seja uma canção que possa reunir consensos: irá haver quem deteste e quem a adore. Eu começo a fazer parte deste último grupo. 18/20

Classificação geral:
MatayPerfeito – 146 pontos
CalemaA Dois – 122 pontos
Filipe KeilHoje – 120 pontos
Dan RivermanLava – 117 pontos
SurmaPugna – 116 pontos
João CamposÉ O Que É – 113 pontos
Mariana BragadaMar Doce – 102 pontos
João CoutoO Jantar – 96 pontos
Mila DoresDebaixo do Luar – 90 pontos
10º Soraia TavaresO Meu Sonho – 74 pontos
11º Ela LimãoMais Brilhante Que Mil Sóis – 66 pontos
12º Lara LaquizO Lugar – 57 pontos

Fonte: Festivais da Canção

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.