Festival da Canção 2019 visto por Maria Fernanda Fonseca

Maria Fernanda Fonseca
A RTP está de parabéns pela forma como continua a fazer e a oferecer-nos desde há três anos os melhores festivais da canção dos últimos tempos, colocando-o novamente em destaque para o público em casa e diversificando as finais pelas diversas cidades do continente: Lisboa (2017), Guimarães (2018) e Portimão este ano.
Três Festivais 2017/18/19 completamente renovados, frescura, mostrando muita vontade, carinho e empenho no trabalho de todos os profissionais da estação.

As semifinais já nos tinham mostrado dois espetáculos que nos deixavam antever uma grandiosa final na Portimão Arena. Uma casa cheia, um palco grandioso e bonito. Os apresentadores deste ano Tânia Ribas de Oliveira / Sónia Araújo, José Carlos Malato / Jorge Gabriel nas semifinais, Filomena Cautela e Vasco Palmeirim na final e Inês Lopes Gonçalves nos três espetáculos, todos profissionais de excelência, dos melhores da RTP.

Este ano a RTP escolheu 14 dos 16 compositores e estes deram azo aos seus conhecimentos e gostos e convidaram quem queriam que cantasse os seus temas.
Quanto a estes, na primeira semifinal ainda tivemos canções boas e fortes que poderiam obter o passaporte para Telavive e representar-nos bem no Eurofestival.
Já na segunda semifinal achei a grande maioria dos temas muito fracos, sem chama e pobres em letra e música. Igual a Ti de NBC destacava-se das outras sete.

A grande final em Portimão superou as minhas expectativas. Gostei mesmo muito do bonito espetáculo a que tive o gosto de assistir ao vivo, sentada num lugar onde nada me podia escapar porque desde o palco à sala verde, eu via tudo.
Não tenho nada que possa dizer que não gostei. Diverti-me, aplaudi muito as minhas canções preferidas, emocionei-me, e fiquei já com saudades para o próximo ano.

Quanto às canções, não vou tecer comentários, pois o nosso site está a colocar diariamente todas as opiniões dos colaboradores e como tal, a minha lá está também.

Mas não posso deixar de referir a canção que nos vai representar em Israel. A nossa canção Telemóveis de Conan Osíris. Não era e continua a não ser a que mais gosto.
Muito já se falava desta canção antes do Festival e há muito já era previsível a sua vitória. Tiago Miranda e o bailarino João Reis Moreira, apostaram num tema fora do vulgar, apresentado em palco de uma forma diferente, vestidos de branco com ornamentações em dourado, uma queda no chão, uma música com acordes não ligados à música portuguesa, e uma interpretação muito própria.
A Eurovisão apoia a diferença. Não sendo do meu gosto, reconheço que pela diferença poderemos ganhar novamente este concurso. Ou não.

Vejamos: Quando é que o Festival da Eurovisão volta a vitoriar canções fortes, umas bonitas Baladas que tanto têm aparecido, ou nuns Pop’s bem construídos que também os há e ficam pelo caminho?

Em 2017 o nosso Amar Pelos Dois foi a delícia, desde a letra, a música e depois o jeito que o Salvador lhe deu na interpretação. Ganhámos a Eurovisão, tão bom!

Já no ano passado não gostei da canção vencedora. A canção de Netta fazia a diferença assim disseram os entendidos. Este ano será que Conan Osíris vai trazer a segunda vitória de Portugal na Eurovisão? Segundo os entendidos, sim, vai trazer. Por mim, que venha a segunda vitória, eu que julgava que tinha assistido uma única vez na minha vida ao Festival da Eurovisão ao vivo, então não quererei repetir novamente a proeza no nosso país? Claro que sim.

Fonte: Festivais da Canção | Foto: © RTP

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.